Acelerando a diversidade nas equipes tech por meio do education recruiting

Ao longo do último mês de setembro tive o prazer de palestrar em um dos principais eventos de inovação do Brasil, o Hacktown em Santa Rita do Sapucaí e na 5a edição da Share Conference, principal evento da Share People Hub. Em ambas as oportunidades pude falar do mesmo tema: como acelerar a diversidade nas equipes tech por meio do education recruiting. Leia o artigo para saber mais sobre o assunto!

Ao longo do último mês de setembro tive o prazer de palestrar em um dos principais eventos de inovação do Brasil, o Hacktown em Santa Rita do Sapucaí e na 5a edição da Share Conference, principal evento da Share People Hub. Em ambas as oportunidades pude falar do mesmo tema: como acelerar a diversidade nas equipes tech por meio do education recruiting. 

Em 2019 quando avançávamos com os projetos de tech recruiting e começamos a pesquisar alternativas para escassez de talentos tech no mercado, ainda não era comum que empresas investissem na educação de candidatos para facilitar suas contratações. De lá pra cá, felizmente os bootcamps e programas de formação se tornaram mais comuns, felizmente.

No entanto, dado o contexto da relação oferta e demanda de profissionais na área de tecnologia e principalmente a falta de diversidade nas áreas tech, existe muito espaço para o crescimento do número de programas e vagas para que estes dois cenários, que estão intimamente ligados, possam mudar. Para tanto é fundamental que cada vez mais profissionais de gestão de pessoas conheçam a metodologia de education recruiting.

Essa abordagem, também conhecida como eduployment, é a fusão dos processos de recrutamento e seleção e de treinamento e desenvolvimento. Ela se dá por meio de programas focados em resolver os gaps, geralmente técnicos, que impedem as contratações de profissionais e por serem patrocinados pelas empresas, são customizados de acordo com as necessidades dessas organizações.

As pessoas que participam destes projetos geralmente não pagam pelas aulas e além de desenvolverem habilidades desejadas pelo setor, ainda concorrem a oportunidades de entrar no mercado ou progredir de carreira para posições mais atraentes.

Para as duas apresentações que eu comentei no início do texto, eu preparei uma relação de 12 dicas práticas que segundo a minha experiência são críticas para o sucesso de programas de education recruiting. Nas próximas semanas eu vou compartilhar essas dicas no meu perfil do LinkedIn e também no blog do site da Prosper Tech Talents (www.prosper.tech). 

Mas se você ficou curioso e quer marcar uma conversa sobre o assunto, é só me avisar! Será um prazer trocar ideias e compartilhar a nossa experiência com mais de 70 turmas formadas para empresas como Banco Itaú, ABInBev e Dasa.

– Luiz Eduardo Drouet

Compartilhe:
Comentários:
Rolar para cima